Uncategorized

Reticências

Inspiração vem dos outros, motivação de você mesmo. Já ouvi isso algumas vezes, e tenho que concordar.

Mas há que se notar que é um ciclo vicioso. É necessário estar inspirado pra alcançar a motivação. E é necessário estar motivado pra extrair a inspiração. Então por onde eu começo?

E quando não se tem nenhuma das duas? E quando não se sabe pra onde apontar, olhar, ouvir…

O mundo venceu? Ou você morreu? Ou ainda está dormindo achando que já perdeu antes mesmo de botar o pé no chão? Se ainda for um sonho, então aproveitarei e criarei minhas próprias leis da física. Desafiarei o obvio, para tentar me reinventar. Farei uma inception particular.

Mas antes de tudo, tenho que voltar a conseguir dormir. Tentar ao menos. Ou daqui a pouco começarei a falar com Tyler Durden e farei toneladas de sabão enquanto planejo como ferrar o sistema.

Aliás, seria até bom se encontrasse ele. Uma boa briga não faz mal a ninguém, principalmente quando é contra sua própria passividade.

Mas porque você não vem? Por que você volta? Por que acaba comigo lentamente?

Malditos assuntos inacabados. Maldito espírito Asimoviano que me controla.  Alguém escreva uma linha de código que me liberte, ou quebre a porcaria do controle remoto de uma vez.

Mas por onde começar? Pode estar bem perto. Se estiver melhor, tentarei não deixar escapar. Caso a distância seja maior, melhor preparar um bom calçado para não criar calos. E quando chegar lá, não olhar pra trás, apenas aproveitar a vista, e saber que nada deveria ser melhor do que o que já está acontecendo quando tudo não poderia ser previsto…

Padrão
Uncategorized

And you don’t see me

Threw you the obvious
And you flew with it on your back,
A name in your recollection,
Down among a million same.

 

Difficult not to feel a little bit
Disappointed and passed over
When I look right through
To see you naked but oblivious
And you don’t see me.

 

But I threw you the obvious
Just to see if there’s more behind the
Eyes of a fallen angel,
Eyes of a tragedy.

 

Here I am expecting just a little bit
too much from the wounded.

 

But I see, see through it all,
See through and see you.

 

‘Cause I threw you the obvious
To see what occurs behind the
Eyes of a fallen angel,
Eyes of a tragedy.
Oh well, oh well, apparently nothing.
Apparently nothing at all.

 

You don’t, you don’t, you don’t see me.
You don’t, you don’t, you don’t see me.
You don’t, you don’t, you don’t see me.
You don’t, you don’t, you don’t see me.
You don’t see me.
You don’t, you don’t, you don’t see me at all.
Padrão